08 novembro 2006

Qualidade de vida é o que mesmo?

Falar deste tema parece um tanto estranho para alguns. Dizem que é como chover no molhado. Afinal, como falar em qualidade de vida se estamos atolados no trabalho e dívidas, diariamente?

Mas não desistimos assim de vereda e vamos em frente, pois este tema é de profunda importância. E justo e principalmente para aqueles que estão atolados no trabalho. Correndo para pagar dívidas. Descontando no garfo as frustrações e aumentado seus problemas e seu peso, o que redunda em mais problemas.

Qualidade de vida é, a modo de definirmos na forma de consenso, poder dizer de algumas satisfações no dia a dia, culminando numa tal de felicidade que é busca de quase todos, ou deveria. Ocorre que alguns "a pomos onde não estamos".

Assim buscar qualidade de vida, caminhar para a felicidade diz de atitudes e decisões que Você deve tomar. Mas cabe somente a Você! Sei que já falei isto em outro lugar, outro tempo, mas cabe repetir sempre: para Você abrir-se ao mundo e deixar-se viver a felicidade, terá de destrancar a porta que o separa dele. O que quero salientar é que esta decisão e ato cabem somente a Você, tal porta somente pode ser aberta por dentro.

Seguindo então, devemos ter em mente algumas pequenas questões, que poderão decepcionar a alguns. Você não pode colocar sua felicidade nas mãos de outra pessoa. As circunstâncias para a felicidade devem ser criadas por Você, somente Você. A tal felicidade não é algo difícil de ser atingida e nada de complicado, é, isso sim, algo de uma simplicidade desconcertante que a muitos surpreende. A felicidade não está nas coisas que Você poderá adquirir, está (ou não) em Você. É sua atitude frente a um sorriso, por exemplo, que diz de sua felicidade e não o sorriso.

E isso é muito importante: é sua atitude!

Mas voltemos à qualidade de vida, propriamente dita. Faça uma avaliação de sua qualidade de vida: conte quanto dos itens abaixo lhe são característicos.

Sintomas psíquicos

  • Cansaço exagerado
  • Perda do prazer de viver
  • Pensamento acelerado
  • Tristeza ou humor deprimido
  • Insônia
  • Falta de concentração
  • Excesso de sono
  • Sofrimento por antecipação
  • Esquecimento
  • Angústia (ansiedade + aperto no peito)
  • Desmotivação, desânimo
  • Agressividade
  • Diminuição do prazer sexual
  • Sentimento de culpa intenso
  • Baixa auto-estima
  • Solidão
  • Medo
  • Idéia de desistir da vida

Sintomas psicossomáticos

  • Dor de cabeça
  • Hipertensão quando está tenso
  • Falta de ar
  • Diarréia quando está tenso
  • Tontura
  • Aumento do apetite
  • Taquicardia
  • Diminuição do apetite
  • Nó na garganta
  • Excesso de suor
  • Aperto no peito
  • Choro ou vontade de chorar
  • Dores musculares
  • Mãos frias e úmidas
  • Prurido (coceira)
  • Queda de cabelo
  • Gastrite

Feita a contagem? Então vamos aos resultados para avaliar como está sua qualidade de vida. Não sem antes citar que estas tabelas e resultados foram retirados do livro de Augusto Cury, 12 Semanas Para Mudar Sua Vida, Edição 2004. Nenhum destes itens marcados significa que Você tem uma excelente qualidade de vida. De 1 a 2, Você tem uma qualidade de vida boa. Daí em diante caro amigo, sinto dizer, vai de regular a péssima.

Que fazer agora? Você pode optar por alguns caminhos. O livro citado tem um ótimo método a seguir. Outro caminho, mais simples, é uma parada para reflexão. Para isto Você terá, no entanto, que acreditar quando lhe digo que nada na sua vida é inadiável, nada há que lhe impeça de uma parada estratégica. Aliás, cabe citar aqui a teoria do tropeço. Imagine-se caminhando lado a lado com um grupo de pessoas. Tudo na rotina, tudo igual, habitual. Daí Você tropeça e fica para trás. Nesta situação Você pode olhar e avaliar o grupo, é a tal parada estratégica, e invariavelmente muda seu rumo, ou seu grupo, ou somente sua forma de participar de tal grupo.
Então mudamos as atitudes, os hábitos. Passamos a ver nossa vida de outra forma, com outros valores. Paramos de adiar nossa felicidade. Ela não aparecerá quando as crianças estiveram crescidas, por si só. Ela não virá arraigada àquela aposentadoria esperada. Ela não virá de brinde junto à coisa qualquer. Ela será buscada por Você, com consciência, com certeza de a querer, com a convicção de que terá de se desfazer de alguns hábitos, atitudes, coisas. Com a certeza de que sempre teremos de abrir mão de algumas coisas ao longo do nosso caminho e que isso não significam perdas, apenas desprender-se de coisas fruto de escolhas de um melhor caminho.

Autor: Roberto Lima

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home